Quais as diferenças entre prótese e implantes dentários?
Estética Bucal Qualidade de vida Saúde Bucal

Quais as diferenças entre prótese e implantes dentários?

A perda dentária infelizmente ainda é uma realidade de muitas pessoas, sobretudo adultos e idosos. Logo, é importante buscar informações sobre os tipos de tratamentos de reabilitação como a prótese e o implante, antes de tomar uma decisão importante.

Consultar um bom dentista é fundamental para que ele possa avaliar o caso e oferecer as melhores orientações. A reabilitação oral é um procedimento essencial para devolver a autoestima da pessoa, assim como funções básicas como a mastigação.

Então, leia o post a seguir para entender melhor o assunto e saber as diferenças entre prótese e implante dentário.

O que é uma prótese dentária?

Esse tipo de tratamento pode ser realizado de duas formas: com próteses fixas ou removíveis. No último caso, elas também são conhecidas como dentaduras e podem substituir apenas um dente, um grupo de dentes ou todos eles — ou seja, uma arcada inteira.

Já os modelos fixos são estruturas de porcelana ou resina que são cimentados na arcada, ficando presos e sem possibilidade de remoção pelo paciente. Esse tipo de prótese pode ser fixado colocando um auxílio na raiz de um dente ou ainda utilizar como apoio os dentes vizinhos — quando são chamadas de pontes dentárias.

E o implante dentário?

O implante é realizado para substituir a raiz de um ou mais dentes ausentes. Então, é colocada uma estrutura de titânio (um metal natural que evita problemas de rejeição) através de uma cirurgia para servir de sustentação.

Depois de algum tempo (que pode variar de um mês a seis meses, por exemplo), o dentista avalia a cicatrização da região para finalmente colocar o dente substituto.

Em que casos ela é indicada?

A escolha de um tratamento como esse vai depender muito da conversa entre o profissional e o paciente. É preciso analisar o histórico de cada um e estudar as melhores maneiras de reconstituir o sorriso, já que o estado da saúde bucal pode influenciar bastante nessa decisão.

Quem já possui doenças periodontais e problemas fúngicos, por exemplo, pode ter complicações na adaptação com as próteses, sendo mais indicado fazer o implante. Mas há outras situações que envolvem perda óssea e também impedem a implantação.

Quais as vantagens e desvantagens de cada um?

De maneira geral, o grande benefício proporcionado é restaurar o sorriso do paciente, garantindo uma estética mais atraente e qualidade de vida para os seus dias.

A saúde bucal também é preservada, assim como a mastigação, fala, digestão, entre outras funções essenciais. Nos dois casos é preciso tomar alguns cuidados, então vai da necessidade e da opção feita pela pessoa.

Por exemplo, a higiene bucal é facilitada com a colocação de implantes ou próteses fixas, já que há maior estabilidade e o ritual de limpeza diário não sofre grandes modificações. Já a prótese móvel deve ser higienizada separadamente do resto da boca e pode gerar maior dificuldade de adaptação.

Quanto à alimentação, em ambos os casos é recomendável evitar alimentos muito duros, ácidos ou cheios de corantes. Eles acabam favorecendo o desgaste do material do novo dente e comprometendo sua aparência.

No quesito durabilidade, os implantes saem ganhando já que a duração de uma prótese móvel é de aproximadamente 5 anos. E o implante dentário, quando bem cuidado, costuma durar mais de 20 anos, proporcionando ainda maior conforto na mastigação.

Uma outra vantagem do implante é que não é preciso desgastar os dentes vizinhos para usá-los como suporte, preservando essas estruturas. Portanto, não há razão para ter medo do procedimento por achá-lo mais invasivo, pois a cirurgia para colocar o pino de titânio pode ser feita no próprio consultório.

A questão é que os implantes são mais caros que as próteses, o que acaba sendo uma desvantagem para muitos. Por isso, é preciso procurar um dentista de confiança, para avaliar as soluções indicadas e a relação custo-benefício de cada uma.

O mais importante é que o paciente se sinta seguro para resolver o problema da melhor maneira possível, priorizando sua saúde e autoestima. E também que continue o acompanhamento com o profissional para que a manutenção e a preservação do sorriso seja feita periodicamente.

Gostou do conteúdo e quer saber mais? Curta nossa página no Facebook e acompanhe nossas dicas e informações! 

Sobre o autor

Odontologia Íntegra

Deixar comentário.

Share This